Expectativas Subjectivas e Escolhas Ocupacionais de Estudantes Universitários em Moçambique

  • A transição da educação para o mercado de trabalho tem vindo a receber uma atenção crescente entre os economistas e formuladores de políticas públicas, especialmente nos países em desenvolvimento.
  • Este estudo analisa o papel das expectativas subjectivas sobre o emprego e salário na tomada de decisões de carreira profissional entre estudantes do ensino superior em Moçambique, em relação a três sectores (público, privado e auto-emprego).
  • Fazemo-lo usando uma combinação de dados recolhidos no inquérito, sob diferentes cenários, e um tratamento de informação aleatoriamente administrada para mais de 800 estudantes de diferentes faculdades das duas maiores universidades de Maputo.
  • Resultados dos cálculos de regressão sugerem que:
    • Os alunos efectivamente actualizam as suas crenças após receberem a informação do tratamento;
    • Os alunos escolhem a ocupação profissional de acordo com a média de ganhos esperados;
    • O grau de risco esperado nas ocupações profissionais também desempenha um papel: estudantes tendem a evitar ocupações com uma variância alta de rendimentos e baixa probabilidade de encontrar um emprego;
    • A negligência do factor de incerteza pode levar a uma superestimação da importância do salário médio esperado.
  • Os resultados do estudo sugerem que os alunos tendem a subestimar os retornos do ensino superior no sector de auto-emprego, enquanto os superestimam no sector público, o que destaca uma causa potencial e fundamental do desajuste de habilidades no mercado de trabalho.